O que andei lendo – livros de Julho 2008

<abre parênteses: meus posts já são suficientemente grandes (um dia eu aprendo a ser menos prolixa, juro – mas qual é a graça de escrever se eu não puder fazer esses comentários cretinos no meio de algumas idéias mais ou menos relevantes?), só que dessa vez acho que passei dos limites. Sorry folks! fecha parênteses>

Nick Hornby (que, eu já falei um monte de vezes : eu adoro) teve até o mês passado uma coluna mensal numa revista de literatura americana chamada Believer. A coluna, “Stuff I’ve been reading“, poderia ser (livremente, com alguma licença poética) traduzida por “Coisas que andei lendo” – nela, ele escreve deliciosamente sobre os livros que leu, relacionando também os livros que ele comprou naquele mês (e nisso descobri que tem mais gente no mundo que compra livros que serão lidos sabe-se-lá-Deus-quando, se é que serão lidos um dia…

Uma compilação dessas colunas resultou em um livro bárbaro chamado “The Complete Polyssalabic Spree” (no meu “Darlings de Cabeceira” tem um trecho pra vcs darem uma sentida), que eu super recomendo praqueles leitores fervorosos que tamém gostam de críticas sobre livros – ele é um crítico diferente, não tem nada de pedante apesar de ser extremamente culto, misturando sempre mistura música, futebol e aquele famoso british humour – ou seja, é legal até quando não é o máximo, saca?

Bom, então, indo na cola do cara, como eu me perco horrores com o mar de coisas que leio, vou tentar, no fim de cada mês, fazer uma relação de livros que comprei e os que li, com um super-hiper-breve resuminho ou opinião para cada um (só espero que eu lembre de anotar os livros que li e os que comprei durante o mês, pra não ter que instalar o “embromation posting widget” quando tiver que fazer o post). Bom, vamos lá, primeiro para a lista dos comprados:

Livros Comprados:

Por que ler Shakespeare, Bárbara Heliodora,

A instrução dos amantes, Inês Pedrosa,

Celular- 13 histórias à maneira antiga, Ingo Schulze,

Campanha no Afeganistão (a história de um soldado no exército de Alexandre o Grande), Steven Pressfield,

Carnavais, Malandros Heróis e – Roberto da Matta,

Coração de Tinta, Cornelia Funke

Identidade, Zymunt Bauman

Cidade Digital – Infoinclusão social e tecnologia em rede, Evadro Prestes Guerreiro

Livros Lidos:

  • Seda, Alessandro Baricco - Li esse livro por causa do frisson sobre o escritor na FLIP (o Contardo Calligaris escreveu um texto mencionando 2 livros dele, btw) e gostei muito. Eu confesso que não sei como alguns escritores têm o dom de dar aquela sensação de sonho – sabe quando vc imagina as cenas e elas vêm com aquela névoa onírica? Um que eu acho que faz isso também é o Mia Couto: vc não lê, vc voa por cima da história – ou entra nela como se fosse um elfo (ou sílfide – adoro esse termo, sílfide). Uma história de amor impossível. Linda como todas as histórias de amor impossíveis.

cotação Lady Rasta:

  • Por que ler Shakespeare, Bárbara Heliodora - Faz parte de uma coleção lançada pela Globo (informações mais precisas vc vai encontrar aqui no Digestivo Cultural). Bárbara Heliodora é uma das mais importantes especialistas em Shakespeare no Brasil, e através desse livro, aqueles que conhecem o bardo têm uma boa “cola” dos pontos principais da sua obra à mão (além das críticas e comentários da autora – sucintas, tendo em vista o tamanho do livro, mas nem por isso menos precisas); os que não o conhecem têm uma boa visão inicial do assunto. Para quem não tem preconceito de parecer menos ahnnnn…intelectual, eu recomendaria ler junto um volume da coleção “Mortos de Fama” chamado “William Shakespeare e seus atos dramáticos“, de Andrew Donkin – uma das formas mais inteligentes de se abordar esse autor para um úblico mais jovem. A tradução é primorosa, o texto de chorar de rir, e as ilustrações idem. Quer ser mais cult? Complemente com “Shakespeare, a Invenção do Humano”, de Harold Bloom – pra mim um livro que deveria ser matéria obrigatória de qualquer faculdade (junto com a Teoria Geral dos Drinks…hehehe).

cotação Lady Rasta:

  • A instrução dos amantes, Inês Pedrosa. Mais um dos livros que comprei em função da FLIP. Costumo dizer que arte é tudo aquilo que consegue causar uma reação no receptor, ainda que seja repulsa; então se eu estiver certa, esse livro é uma obra prima, porque eu tinha vontade de jogar ele pela janela, de tanta bobagem que eu achei escrita. Eu não sei, não li outros livros da autora, então vou parar pra pensar antes de falar que ela me pareceu ser uma Lya Luft portuguesa (e Deus e quem me conhece sabe que isso não foi um elogio). Falam tão mal de chic-lit, mas eu já li ótimos livros desse gênero (bom, talvez porque eles não tenham outra pretensão a não ser divertir). “A instrução dos amantes” me pareceu…pretencioso e pseudo. Pra mim esse livro é um amontoado de lugares-comuns, com várias frases de efeito feitas praquelas pessoas que não param pra pensar no que está escrito e acham as ditas cujas profundas (Lya Luft e congêneres). Quer um exemplo? O livro conta a história de uma turma de adolescentes que está descobrindo o amor, sexualidade, bla bla bla. Até aí morreu o Neves, e eu defendo a teoria que clichés bem contados dão histórias maravilhosas. Mas ela abusa. Eu juro que tem umas passagens que eu não entendi uma palavra do que aquela mulher tentou falar.Querem ver?

“Nunca mais houve ninguém . Aquele amor apagou o mundo. Quando, muitas lágrimas depois, ressucitámos, estávamos sozinhos. O luto do grande amor torna-nos apenas uma pessoa. E ser uma pessoa é muito pouco para quem já foi nada. Para quem já deu tudo. Jurámos que nunca mais. Assim não. Nem pensar. “Não te posso dar nada” dizem os amantes uns aos outros, quando morremos de uma das múltiplas mortes que podemos ter para os outros”.

O que com mil demônios ela quis dizer com isso? Sinceramente? Pra mim é um monte de frases “cabeça” alinhavadas de qualquer jeito pra dar a impressão de profundidade. E quando alguma coisa precisa dar a impressão de ser profunda, é que não é profunda coisa nenhuma…Detestei. Pra não dizer que não tem nada que preste, tem lá uma descrição sobre o comportamento das mulheres quando falam de meninos que é divertida (lá ela não tentou frases de efeito ou profundidade).

cotação Lady Rasta:

  • Campanha do Afeganistão:se tem uma coisa que eu adoro é ler são esses romances históricos – quando vc pode confiar no cara que está escrevendo, é uma excelente forma de aprender alguma coisa sobre história sem ter a impressão de que se está “estudando”. Já li vários livros assim, e de cabeça posso falar do “Canção de Tróia“, de Collen McCullough , Corcovado de Jean Paul Delfino (livro que eu recomendo fortemente) e e a série “Os Patriotas” de Max Gallo . Bom, voltando ao livro: eu já tinha lido um outro livro desse autor, sobre a Batalha das Termópilas, chamado “Portões de Fogo” (por sinal, o livro é o máximo, e bem melhor do que esse último que li sobre a campanha de Alexandre o Grande, no Afeganistão). Mas vcs sabem, a gente sempre consegue aproveitar alguma coisa né? Esse aqui, além de passar o tempo, de uma maneira bem gostosa, me fez pensar no seguinte assunto: contando sobre os hábitos dos afegãos para esse soldado macedônio, um cara fala que vc ofende a família de uma pessoa quando vc a ajuda quando a família não pode ajudá-la – pois isso seria praticamente um tapa na cara, uma declaração de incapacidade daquela família de zelar pelos seus. Será? Não, sei, mas é o modo deles encarar isso (se for verdade). Pensando nisso, lembrei de uma crônica da Clarice Lispector chamada “Das caridades odiosas” (que na verdade mostra o sentimento inverso do qual o livro fala, mas de qualquer modo tem relação com os sentimentos dicotômicos que o ato de ajudar o próximo nos causa).

cotação Lady Rasta:

  • Coração de Tinta, Cornelia Funke: História para adolescentes meio bobinha que simplesmente me cativou horrores. Sabe quando vc gosta das personagens, sabe que tudo é meio superficial, mas a idéia é legal então vc vai em frente? É a história de um cara, um encardenador de livros que tem a cndição de trazer personagens de livros para a vida real (na verdade eles são tirados do mundo deles e vêm para o nosso). Só que ele traz um bandido de um deles e…começa a maior encrenca. Cada caítulo do livro tem uma citação a determinado livro, e a história flui gostoso. Livro para passar o tempo (nada muito profundo), e certamente indicado para crianças (quer dizer, aquelas que não acham que 300 páginas é algo como o Monstro do Lago Ness…
  • cotação Lady Rasta:
    • Carnavais, Malandros Heróis e – Roberto da Matta: comecei a ler esse livro quando o orkut deu pau no fim do mês, e nos comentários de um post da Raquel Recuero o Gilberto Pavoni (do Techoboogie ) levantou a discussão sobre o preconceito que alguns internautas teriam contra integrantes das classes C e D frequentando o mesmo ahnnn…”espaço” que eles. Tem um capítulo aqui que (também) devia ser matéria obrigatória em qualquer faculdade, o “Você sabe com quem está falando?”, onde o Roberto da Matta analisa os comportamentos que desencadeiam esse bordão tão nosso conhecido. Livro pra ficar no meu criado mudo para todo o sempre, junto com o Harold Bloom, a Gaia Ciência, Clarice Lispector, Roland Barthes e mais uns por aí… Dê de presente praquele cretino que não para de falar em quanto custa as coisas que ele tem ou quem ele conhece de “medalhão”. Hummm…pensando bem não dê. Não está na lista dos mais vendidos, então ele não vai ler….

    cotação Lady Rasta:

    Bom moçada é isso. Eu praticamente suplico a vcs que me digam (na caixa de comentários, email, twitter, sinal de fumaça, pombos Doodles) se tá bom assim, se tá muito comprido, se eu devia dividir o post…Não tenho a menor pretensão de ser crítica literária, mas todo mundo vive perguntando o que eu leio, então resolvi dizer o que eu acho ou deixo de achar, certo? Quanto mais não seja, isso vai ajudar a organizar o histórico das minhas leituras…

    ****

    Imagens:

    -Sexy lady reading, by Haneek at Deviantart

    - Tree of books, Vladstudio at Deviantart


    Bookmark and Share

    Similar Posts:

    Share

    17 comentários sobre “O que andei lendo – livros de Julho 2008

    1. Fiquei com uma leve inveja da sua lista de livros, queria ter a dedicação e o tempo pra investir numa boa lista de novidades todo mês, mas sempre falta tempo!

      Adorei o blog, te vi no evento do Y!Posts e anotei sorrateiramente o nome do seu blog q estava na sua camiseta e fui imediatamente procurar no google, rs

      Agora com o portal do Yahoo as coisas ficam bem mais fáceis, rs

      Bjs
      Denis

    2. Denis: mas vc tem que ver que eu sou uma verdadeira analfabeta nas outras coisas se alguém roubar a TV de casa é capaz d’eu não perceber (é sério, e não me orgulho muito disso não). Mas é verdade que livros são a minha paixão.

      Eu tb “fui” ontem no seu blog e curti – adoro listass! Ah, e adorei o “5 piores notícias” (ia fazer o link pra lá mas a loira burra aqui – loira no sentido metafórico, claro – não conseguiu…sorry!

      Não precisava ter anotado “sorrateiramente”, era só ter perguntado que eu respondia…bom, agora vc sabe né?

      Sure et certain, o portal do Yahoo vai integrar todo mundo né? Quem sabe da próxima vez não fico tão tímida no cantinho…

      bjs!

      Flavia

    3. Ola Lady!!
      Parabéns pelo blog!
      Muito legal mesmo!
      Informação, Cultura, diversão, tudo de bom!
      Beijos!

    4. Adorei seu blog! Está me inspirando a ler mais…e principalmente…livros que não sejam para o trabalho. Parabéns!
      A propósito…vc escreve na medida!

    5. Paula:ler para o trabalho é continuar trabalhando né? ler a lazer é descobrir (e entrar) em outros mundos…
      Às vezes eu acho que poderia ser mais concisa, mas na verdade eu adoro um floreio, e não consigo dar umas viajadas…ainda bem que vc gosta…

      Julio , acho que não fiz nenhum gol não… hehehe :)

    6. Você realmente tem talento para isso.Gostei muito. Parabéns por tudo e espero que tenha sucesso sempre…

    7. Malu, que legal que vc gostou daqui!!! Fico feliz!! Hehehe…a gente vê o outro lado da pessoa né (por exemplo, quando ela não está de tailleur e não está falando de prescrição intercorrente… :( )

    8. Queridíssima! Te conheci ontem e vim ver seu blog hoje. Ele respira exatamente o que vc é: um furacão de idéias e um turbilhão de emoções. Pode ser prolixa rsrs!!! E parabéns, não sabia que vc era tão chique que já ia para o Yahoo!!! Muito legal ler livros nessa velocidade. Um dia eu fui assim, mas depois que fiz mestrado e publiquei o meu primeiro (a dissertação que virou um livro mas é técnico, para quem trabalha com RH, Educação ou Treinamento), fiquei 1 ano sem ler. Qdo recomecei tive a sorte de ingressar numa empresa onde há um programa que estimula a leitura, resultado, voltei a ler! Ainda não vi o blog todo mas em algum vc já explicou de onde vem essa paixão pelos livros?

    9. ,b>Cristina : eu tirei férias dos livros no meu 1° ano de faculdade. Mas é paixão, vício, sei lá. Eu realmente me acalmo quando estou dentro de uma biblioteca – que nem bebê quando vc pega no colo sabe?

      Adorei que vc veio me visitar, a casa é sua viu?
      beijos!

    10. Tá DI-VI-NO, Flá! Ameeeeeeei [com o perdão de toda essa empolgação meio 'cabelereiro de perua'...].

      Como também sou rata de livraria, é uma delícia saber sobre todos os tipos de títulos, ter a opinião de quem lê de verdade [e com isso quero dizer que lê prestando atenção, se entregando àquelas páginas que te fazem viajar, mente, alma, tudo].

      Estou em falta com minhas passagens por aqui. Tive semanas turbulentas, para dizer o mais leve. Mas acredito que todo processo de transformação traz desafios e aceito-os.

      Bj gde, querida!!

    11. MoMarch: Obrigada querida!!!Essa coluna vai ser mensal (mas esse mês estou lendomuito pouco…).
      Olha, e ssse período tá turbulento pra todo mundo: é meio um furacão que tá passando na vida de todo mundo, e não tá fácil pra ninguém. Mas como eu sou uma adepta do mote “delenda cartago”, acho que é válido. Segura a onda aí e pensa que toda novela e todo filme tem uma hora em que o mocinho apanha…pra depois bater bastante no vilão!
      beijos!

    12. Olá, Lady Rasta. Vi que você é uma grande entusiasta literária. Mande-me uma mensagem eletrônica se você tiver interesse em trocar alguma experiência ou conversar sobre ideias afins. Caso prefira, pode me confirmar o recebimento deste recado pelo portal da Oi. Meu número é (98)8898-8919. Até a próxima. :^)

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

    Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>