Top 5 motivos a favor da descriminalização do aborto

Hoje é dia da  Dia de Luta pela Descriminalização do Aborto na América Latina e Caribe .

A @anarina, com quem troco inúmeras figurinhas, fez para o TCC (Trabalho de Conclusão de Curso) dela um mapa sobre a evolução da legalização do aborto no mundo, que achei bárbara:

[youtube=http://www.youtube.com/watch?v=s2e7q0jBvYk]

Como vocês podem ver, não estamos aí – ou melhor, estamos sim, em companhia da maioria dos países africanos (os quais não são exatamente um exemplo de evolução social, econômica e política, certo?) e alguns países ultra-católicos da Europa. Queria portanto, fazer algumas reflexões sobre a questão do aborto:

1. a mulher tem o direito de decidir sobre seu futuro e seu corpo

Sim, sobre o seu futuro. Ninguém ignora que um filho altera a vida da mulher. Altera a vida do homem também, mas não há como negar: é a vida da mulher que fica mais complicada, ainda que o pai seja um pai presente e moderno – até porque a cobrança social em cima da mulher é maior.

De acordo com essa pesquisa aqui, 66% das famílias monoparentais são chefiadas por mulheres; o número chega a 80% quando falamos de famílias monoparentais negras – ou seja, não há como negar que um filho traz mais alterações sobre a vida da mulher do que a do homem.

Você não pode deixar ao sabor do acaso um fato que pode alterar drasticamente a vida de uma pessoa – falhas acontecem, pessoas erram,  e é até mesmo irresponsabilidade obrigar uma mulher a ter uma criança que não deseja.

2. O fato de não acharmos ético o aborto como método contraceptivo não significa que ele deva ser proibido

Eu não acho que o aborto deva ser utilizado como método contraceptivo – mas não é por isso que ele deve ser proibido. A solução é orientar a população menos informada e menos privilegiada, explicando que pílula anticoncepcional e  camisinha (assim como outros métodos menos populares de contracepção) são a melhor solução para o caso. Vai demorar ? Vai. Mas não é negando um direito que você vai conscientizar as pessoas, e só a legalização vai permitir esclarecimento e debate. Não nos esqueçamos: não dá pra fazer uma ampla conscientização de algo que é tabu e proibido.

Proibir o aborto  (que, sejamos sinceros, já existe né?) sob essa alegação é inconsistente – até  porque eu posso não concordar com a utilização do aborto como método contraceptivo, mas essa questão é mais filosófica do que médica, e não tenho como impor meu ponto de vista sobre os outros; no máximo posso tentar convencê-la aos poucos, certo? ;-)

3. aborto já existe – só que só é possível às  classes privilegiadas

Sim, sou eu, aquela que abomina chavões que está dizendo isso. E estou dizendo isso porque é a mais pura verdade ((há post escrito sob pseudônimo no Blog dos 500, projeto do qual faço parte,  falando justamente sobre isso).  Ninguém ignora que existem inúmeras clínicas clandestinas de aborto pelo país, sobretudo nas cidades mais abastadas; ninguém ignora que todo ginecologista “estrelado” (no sentido de conhecido, respeitado etc) tem um colega que exerce a profissão no, digamos assim, “lado negro da força”, para ser acionado em situações, também digamos assim, “mais delicadas” (sim, tudo que é proibido mas acontece à larga precisa de inúmeros eufemismos, sabiam?). Mas como é ilegal, é caro, e somente quem tem dinheiro pode pagar. Quem não tem dinheiro, como todo mundo sabe, utiliza aqueles métodos que podem causar danos terríveis, como a famosa agulha de tricô, os remédios comprados no câmbio negro etc – e como tais métodos deixam sequelas, ao invés do SUS arcar com uma curetagem, tem que arcar com custos de tratamentos mais sérios. Isso é injusto e não pode continuar assim

4. aborto não será  obrigatório

Parece óbvio né? Mas acho que as pessoas não se dão conta do que falam, por isso a ressalva: aqui não é a China (onde por vezes o aborto é forçado, como Xinran falou inúmeras vezes em seus livros) e isso não vai acontecer tá?

Eu tambem sei sei que algumas convicções religiosas não admitem o aborto. Mas… vcs lembram quando o divórcio foi aprovado no país, ainda nos idos de 1970? Lembro do meu pai ter falado : mas gente, divórcio só vai ser permitido, não será obrigatório, vocês estão entendendo?

Falo o mesmo: a legalização do aborto não implica na obrigatoriedade de se fazê-lo. Caso a sua religião não permita, ou se você é contra, é muito simples: não o faça. Mas intolerância religiosa tem sido a causa dos últimos incidentes internacionais e massacres no mundo, e deve ser combatida a todo custo. Ninguém tem o direito de impor suas convicções a outrem – ao menos não em um Estado laico, como é o nosso.

e também não acho que seja a coisa mais legal do mundo; mas acho que é direito da mulher decidir se vai ter a criança ou não, até porque será dela a responsabilidade de criá-lo. Não nos esqueçamos: ainda que feito de forma consciente, o aborto é uma situação onde o emocional da mulher, por mais equilibrada que seja, sofre. Ou vocês acham que ela não sente esse estigma todo que permeia a nossa sociedade?

5. Auxílio à mulher que optou por abortar

Descriminalizar não é obrigar; a respeito da descriminalização, a @semiramis fez um post muito bacana, de onde destaco:

Por descriminalização, entenda-se: fazer o aborto deixar de ser assunto de polícia (resultado: prisão) para ser, simplesmente, assunto de saúde pública, envolvendo apoio psicológico, informação adequada sobre contracepção, direito de optar pelo aborto ou pelo prosseguimento da gravidez, direito de fazer um aborto ou parto com toda a segurança e higiene que a medicina pode oferecer. Essa deve ser uma escolha de cada mulher, e não uma imposição estatal, religiosa ou social. Deixemos que a consciência ou a religião de cada gestante diga o que devem fazer. E respeitemos a vontade de cada mulher.

Não tenho nada mais a acrescentar, a não ser que espero estar viva quando essa situação mudar.

****

Veja também:

- parte do documentário “Clandestinas”, também da @anarina, sobre o tema:

[youtube=http://www.youtube.com/watch?v=lUNvDG7bcLM]

- Seleção de posts sobre aborto da @tdbem, onde destaco este pela racionalidade e pela lógica argumentativa, e ainda esse aqui pela coragem e emoção

Similar Posts:

Share

63 comentários sobre “Top 5 motivos a favor da descriminalização do aborto

  1. essa historia de que a mulher sofre e tals é muito sgoista nao quer filho nao faça aonde esta o dreito da criança de se deferder ela é so uma criança indefeça que n vai fazer mal algum é incapaz de fazer mal a alguem por favor acho que esta na hora de rever seus conseitos sobre o aborto pense no seu caso se vc esta viva é graças a sua mae n é pois é oque vc pensaria se descobrisse q foi rejeitada antes mesmo dela te conhecer por favor n seja a favor do aborto Deus n se agrada disso n tire a vida de um anjo.
    obrigada

  2. Sou a favor do aborto, desde que seja realizado com segurança. Aqui no Brasil acho isso meio difícil pois o SUS não estar dando conta de atender nem mesmo aos mais necessitados em casos de extrema urgencia, em todo caso sempre se tem um geitinho para essas coisas, seja com medicamentos, chás enfim… Milhares de mulheres sofrem hemorragias graves ao tentar alto induzir medicamentos abortivos sem orientações escpecificas.
    Deixo aqui meu contato para quem realmente estar precisando de ajuda com esclarecimentos sobre chás, medicamentos abortivos, clinicas etc..

    e-mail/msn: maisa.vendas@gmail.com

    Pode entrar em contato comigo terei imenso prazer em tirar todas as sua dúvidas.

  3. Todos os 5 argumentos mencionados não têm base nenhuma para a descriminalização do aborto.
    A mulher, com certeza, tem o direito de decidir sobre o seu corpo, mas o aborto não se limita somente ao corpo dela. Existe um outro corpo em desenvolvimento no seu interior, que deve ser amplamente respeitado.
    Uma vida inocente não tem culpa da irresponsabilidade de seus geradores ignorantes.
    E falar que um feto ainda não tem vida completa, não sente dor, não está totalmente desenvolvido não é rezão para poder matá-lo. Apenas se lembrem que ele ainda é um ser humano.
    “O aborto já existe para as classes privilegiadas”, que diabos de argumento é esse?! Quer dizer que se eu tiver grana posso fazer o que eu bem entender?!
    Portanto, dependendo do aborto, este constituí sim um assassinato. Um assassinato de um ser que não tem a mínima capacidade de se defender. No fundo seria a mesma coisa que matarmos aquelas pessoas que apenas nos prejudicam…
    O aborto é fruto da irresponsabilidade de medíocres irracionais. Jogar toda a culpa e responsabilidade apenas descartando e evacuando uma vida de seu útero
    Mas existem razões razoáveis onde o aborto é acessível, como a gravidez de risco e o estupro.
    E se o aborto deliberado for descriminalizado, por analogia o homicídio doloso também deverá o ser, afinal não podemos deixar que outros seres simplesmente atrapalhem com as nossas vidas, não é mesmo?!

  4. “mas gente, divórcio só vai ser permitido, não será obrigatório, vocês estão entendendo?”

    Mesmo vedado, há inumeros casos de aborto, se permitirem vai virar desculpa pra atestado médico!
    Assim como o casamento foi banalizado, hoje é mais facíl trocar de marido/mulher do que de roupa, o aborto também será!

    Acho que a questão da liberação do aborto vai BEM mais longe que uma opinião feminina e o direito pelo seu corpo. Afinal nós sabemos o que deve ser feito para previnir uma gravidez! (Até pra quem não tem acesso a camisinhas, DIU e outros, existe a famosa tabelinha!!)

    O aborto deve sim ser liberado e já é! Mas em casos de estupro, no qual a mulher foi FORÇADA; assim ocorrendo uma gravidez, de fato, indesejada! E anencefalia, quando há ausência do cerebro!!

    Agora quanto aos seus argumentos, se vc e outras mulheres querem tando direito pelo seu corpo, comecem respeitando ele e para de sair por aí dormindo com qualque homem!! Essa também é outra forma de não engravidar…
    Se você transa com seu parceiro “oficial”, não terá problemas com uma vida nascendo dentro de vc!

    Antes de criar um post pro seu blog, vai procurar argumentos que realmente vão deixar as pessoas pensativas…

  5. Laís,

    a Laís queria um motivo pra fazer as pessoas pensarem,
    bem ela me deu UM.
    Fiquei pensando Laís que como você concorda com o aborto em casos de estupro ou má formação fetal,você não é assim “tão” a favor da vida,pois nesses casos,não importa se a mulher não consentiu,ainda assim seria assassinato,já que você reconhece a vida do “embrião”.
    O que você defende na sua mente mesquinha na verdade não é a valorização da vida,e sim,que “essas” mulheres PAGUEM o preço por terem transado sem se prevenir.
    Você como muitos Pró Vida defendem na verdade o Castigo.

  6. Os abortos acontecem todos os dias dentro daqueles que defendem os contraceptivos. ?”Anticoncepcionais” e “pilulas do dia seguinte” tambem sao metodos abortivos. “Segundo alguns estudos, 100 mulheres que usassem algumas formas de anti-concepção hormonal 15 anos seguidos, poderiam ter 130 abortos ocultos”. Fonte: http://vida.aaldeia.net/an?ticoncepcao-abortos-oculto?s/
    Por uma discursao plural sobre o aborto e nao aos argumentos moralistas e metafisicos!

    Pela a descriminalizaçao do aborto!!!!!

  7. eu so a favor do aborto, vc nao tem ki ver so pelo lado ki e uma criança indefesa ki num tem culpa, realmente e uma vida ki foi gerada e nao e desejada, prefiro mil vzs apoiar o aborto do que ver uma criança ser gerada e depois abandonada antes mesmo de consiguir dar seu primeiro respiro, pessoas cruies ki jogam foram como s fossem LIXO, entao abortem mesmo se nao ker, e melhor do ke ver tbm uma criança crescer, sendo rejeitada digamos assim dentro do seu proprio ambiente familiar, ver ela passar fome, frio, nao ter o amor de uma mae e um pai. Talvez uma gravidez sem planejamento mude a vida dessa mae, mas outras nao… e sao esse casos da mae nao aceitar mas optar por ter ki acontece isso.. Como sera a vida desse criançao, como ela se´portara.. ?

  8. Pingback: Anônimo
  9. Descriminalizar é importante, promove a discussao mais saudável na sociedade. Por outro lado, mesmo que nao seja crime, há uma escolha muito difícil de ser feita, quando a gravidez é indesejada, porque ainda fica o sofrimento psicológico desta escolha, que nao é nada fácil. Um ponto que muitos levantaram por aqui é doar livremente para a adocao, sinto informar que este é um procedimento muito complicado e expoe extremamente a mulher que decide por tal escolha. Nao existe a doacao anônima, como aqui na Alemanha (onde o aborto é legal até a 12° semana), nao existe a opcao de ter um acompanhamento médico e psicológico e decidir que deseja doar o filho para a adocao, sem que isso possa ser feito anonimamente. E eu, que sou fruto de uma concepcao indesajada, apesar de meus pais serem casados, senti-me sendo abortada diariamente, senti a rejeicao em todos os níveis. Desde de pequena sendo criada pelos tios, hora cá, hora acolá, será que um aborto nao teria sido melhor? Criar um filho sem amor é muito triste.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>