O que andei lendo: Fashion Babylon

<abre parênteses>: se você perdeu o longa metragem que deu origem à série, dê uma olhada no “o que andei lendo – julho de 2008”  (e também o texto falando sobre a mudança de formato) para captar a mensagem e entender o porquê dessa lista…</fecha parênteses>

Fashion Babylon, de Imogen Edwards Jones

Bom, eu sou daquelas que acha que quase qualquer coisa combina com livro (tanto que recomendo leitura em viagens, hehehe) – acho que uma forma de você mergulhar em um lugar ou um evento de uma forma mais saborosa.

E nesses tempos de SPFW, nada mais divertido (pelo menos pra goiaba aqui) do que ler sobre o assunto que está rolando na boca da moçada. Li há um tempo atrás  um desses livros que a princípio parecem ser chick lit fútil, mas não é. Chama Fashion Babylon, e da mesma forma que “O Diabo veste Prada”, é uma crítica à indústria da moda, embora muuuuito mais consistente do que este último, porque traz pesquisas, números, esclarecimentos sobre as diversas etapas da elaboração de uma coleção de moda etc. Eu diria que na realidade é  uma “reportagem romanceada”  🙂

O livro mostra seis meses inteiros da vida de uma estilista de uma grife que ainda não é “top de linha” preparando sua próxima coleção – começa depois de um desfile (onde 10 minutos após o final do desfile, os jornalistas perguntam se ela já tem alguma ideia para a próxima coleção), e vai desde a sua concepção passando pela compra dos tecidos nas épocas próprias, a elaboração das roupas, a escolha das modelos, da maquiagem, dos cabelos, ou seja os desfiles propriamente ditos e sua repercussão na mídia (e consequentemente, a repercussão não só na conta bancária, como também na auto estima da estilista). Há também há os temas mais polêmicos (drogas, idade das modelos etc), abordados de uma forma que só fica superficial se você assim o quiser (achei uma resenha bacana e detalhada  aqui).

O livro serviu de mote para a BBC gravar uma série, que foi adiada e estreou semana passada na Inglaterra. Vejam o trailler:

[youtube=http://www.youtube.com/watch?v=BV1KOiF5JDY]

Bom, porque eu achei o livro legal? Em primeiro lugar, eu não tinha a mínima noção que tinha tanta coisa assim pra fazer. É como se vc fizesse (dentro de lo que cabe) um mergulho nesse métier. Eu não imaginava (até porque não tinha parado pra pensar) por exemplo, que existem feiras de tecidos onde os estilistas vão escolher os tecidos a ser utilizados nos desfiles. Claro que eles têm que escolher os tecidos – eu só não pensava que era numa feira, onde todos os outros estilistas estão fazendo a meeesma coisa. São coisas bobinhas, eu sei, mas para mim, que não sou do meio, são informações novas, que eu ignorava totalmente. E eu acho que aprender é sempre bom.

cotação Lady Rasta:

4 pensamentos em “O que andei lendo: Fashion Babylon”

  1. Nossa! não conhecia teu blog. Ameeei. Principalemtne os últimos posts sobre a Bahia. Ô lugar tão amado. Fui ano passado e outras vezes pq amo lá. Fiquei no Rio Vermelho pertinho de onde morou jorge Amado. Também recomendo o livro “Jorge Amado, um baiano romântico e sensual” que foi escrito pela Zélia e pelos filhos. É lindo! E dá ainda mais voltade de voltar por lá. Estou adicionando teu blog nos favoritos do meu pq ameeeeei! Vê o que acha ele também? Depois me diz. bjbj

  2. Mari é bonitinho né? podem achar pretencioso, mas eu gosto!!

    Luísa Nossa, super obrigada!! Fico feliz em ouvir isso! Acabei de chegar de viagem, já já passou no seu para conhecer! E vou anotar as dicas de livros, eu adoro o jeito da Zelia Gattai escrever…

    beijos!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *